INDEPENDENTEMENTE ENLAÇADOS


INDEPENDENTEMENTE ENLAÇADOS
De 25 de Julho a 6 de Setembro: 
Vênus Retrógrado em Leão (na maior parte do período)
Sarah Varcas
21/07/2015


Embora Vênus passe a maior parte deste período retrógrado em Leão, na verdade ela muda de direção em Virgem. Neste detalhe oculta-se a chave de sua jornada retrógrada inteira: ela se refere às nuances e não ao quadro maior.

Vênus em Leão é extravagante e convincente, apaixonada e radiante, mas nas mãos sutis e modeladoras de Virgem, ela sabe que a autoconfiança mais segura nasce do autoconhecimento que inclui detalhes – da familiaridade com os altos e baixos da nossa psique e suas influências em nosso bem-estar e relacionamentos.

Quando retrógrado, Vênus revela o ponto cego desses relacionamentos, convidando-nos a ver o que, de outro modo, poderia estar escondido. Ela põe às claras as dinâmicas sutis que moldam nossas interações com os outros, enquanto nos lembra que o relacionamento mais importante é com nosso próprio eu.

Vênus retrógrado em Leão precisa de pouca coisa do mundo exterior. Ela tem certeza do seu próprio valor, necessitando de nenhuma confirmação externa. Isto tanto pode ajudar quanto atrapalhar os relacionamentos. Podemos ter tanta certeza da nossa posição, que a outra pessoa se torne insignificante diante da nossa autoconfiança.

Por outro lado, esta segurança em relação a nós mesmos, pode nos permitir doar voluntária e completamente a outros, sem diminuir em nada o nosso sentido de eu. Saber que o amor do Divino flui através de nossas veias nos capacita a doar desse amor conforme necessário, confiantes que nossas reservas serão eternamente reabastecidas pela Fonte Sagrada. Para aquele que está necessitado deste amor e afeição, nossa atenção chega como uma força curadora, despertando sua própria auto-aceitação amorosa.

O desafio deste Vênus retrógrado é criar uma ponte entre a autoconfiança isolada e a interdependência enriquecedora. Podemos fazer isto acolhendo aquelas sutilezas próprias de Virgem. Vênus não pode viver apenas consigo mesma e se manter feliz, saudável e inteira. Ela precisa de conexão, conforto, afeição e apego para prosperar.

Vênus atiça as chamas do amor e nos traz junto com ela para compartilhá-lo. Ela naturalmente procura conectar-se, não se isolar e se separar. Se nos encontramos isolados durante esta passagem retrógrada, desligados daqueles com os quais buscamos intimidade, Vênus nos encoraja a refletir sobre até que ponto nos tornamos tão autossuficientes, que acreditamos não precisar de nada nem de ninguém.

Esta crença não nasce de um eu soberano, mas de um eu sitiado, protegido por muralhas defensivas, construídas para evitar a vulnerabilidade da necessidade, da dependência e do desejo. Vênus nos convida a refletir sobre como nós asseguramos nosso isolamento e se seria realmente possível não precisar de ninguém num mundo de sete bilhões de pessoas interdependentes.

Ela nos pede para refletir sobre questões de dependência – o trabalho de estranhos que garante que saia água da torneira da nossa cozinha; os esforços dos nossos passados cujo legado vivenciamos hoje; a tarefa árdua daqueles que produzem os alimentos que necessitamos para sobreviver.

Nenhuma pessoa é uma ilha, ela nos lembra. Em um mundo interconectado, dependência não é uma falha, mas um fato; não é uma fraqueza, mas uma verdade fundamental, cuja compreensão pode simplesmente salvar a todos nós.

Está na hora de analisarmos nossa dependência, de encararmos os pensamentos e sentimentos desencadeados quando reconhecemos que nossa própria vida está nas mãos de outros. Na verdade, cada um de nós tem o outro em mãos, cuidando amorosamente do seu florescimento, ou esmagando, com a necessidade de controlar, suas pétalas delicadas, antes que desabrochem totalmente.

Cada um de nós deve um grande cuidado ao outro tanto quanto a si mesmo e deve estar disposto a acolher, a cada dia, a vulnerabilidade da interdependência para seu próprio bem-estar e sobrevivência.

Vênus nos lembra que a autoconfiança só é uma força quando nos capacita a doar e receber em igual medida. Precisaremos dela nos próximos meses para enfrentar os altos e baixos das mudanças e nos mantermos firmes diante dos desafios que ameaçarem tirar-nos do rumo.

Mas, precisaremos igualmente dos outros caminhando ao nosso lado, torcendo uns pelos outros quando as coisas ficarem difíceis, compartilhando suprimentos para a jornada e os sonhos de cada um.

Não somos ilhas num mar de autoproteção, mas uma vida única, vivendo através de cada um de nós para enriquecer e nutrir a si mesma.

Enquanto Vênus viaja através de Leão, ela nos convida a conhecer a nós mesmos e uns aos outros, a celebrar a dependência e respeitar a verdade de que cada um mantém a vida do outro em seu coração e em suas mãos.



Por favor, respeite todos os créditos ao compartilhar
http://stelalecocq.blogspot.com/2015/07/independentemente-enlacados.html
© Sarah Varcas www.astro-awakenings.co.uk 
Fonte: http://astro-awakenings.co.uk/25th-july-6th-september-2015-venus-retrograde-mostly-in-leo
Tradução de Vera Corrêa veracorrea46@gmail.com
Grata Vera!/
Extraído de: http://stelalecocq.blogspot.com

Postagens mais visitadas deste blog

CÍRCULO DE LUZ E AMOR DE MARIA - MENSAGEM RECEBIDA AOS 07.03.2017 POR JANE RIBEIRO

DEZESSEIS SINAIS DE QUE VOCÊ É UM CURADOR

O Livro do Conhecimento: As Chaves de Enoch®