5 MITOS SOBRE SE TORNAR ILUMINADO


5 MITOS SOBRE SE TORNAR ILUMINADO
Michael Jeffreys


1. A iluminação é uma longa jornada que leva muitos anos, décadas, ou até mesmo vidas para alcançar.

Iluminação é perceber que o que você é, sempre foi, e de fato não pode deixar de ser: Consciência Pura. Que você não é a "auto-imagem" que você tem de si mesmo, nem seus pensamentos nem mesmo o seu corpo. Em vez disso, sua natureza original, sua essência incondicionada, é a Consciência atemporal.

Porque você é totalmente o que você já é, você não precisa "fazer" qualquer coisa para chegar lá. Assim, na viagem para a iluminação não é preciso percorrer nenhuma distância.

Uma analogia seria: Até onde vai o oceano precisa ir para encontrar água?
A resposta é nenhuma distância. Ele só precisa reconhecer claramente o que ele já é.

A razão pela qual é tão desafiador despertar para a nossa infinita natureza original é porque nos foi dito desde o nascimento que somos o nosso corpo e/ou a imagem que temos de nós mesmos, em nossa mente, ou seja, a nossa "auto-imagem", o que nós não somos.

E o que nós somos? Nós somos aquilo que silenciosamente observa ou está ciente de tudo o que experimentamos. Isto inclui todos os pensamentos, sentimentos, sensações, imagens e percepções que surgem em nós, assim como "o mundo exterior" (na verdade, poderíamos dizer que não estamos no mundo, mas o mundo está em nós!).

Por exemplo, como é que você sabe que tem um corpo?
Você sabe porque você está ciente disso.

Como você sabe que você tem pensamentos?
Você sabe porque você está ciente deles.

Simplificando, a sua natureza é a própria Consciência.

2. Serei um iluminado assim que eu aprender a parar meus pensamentos.

Este é um equívoco comum. A realidade é que você não precisa parar seus pensamentos para despertar, você só precisa parar de se identificar com eles. Mas isso não é tão fácil, porque a maioria de nós passou a vida fazendo exatamente isso.

A chave é observá-los, silenciosamente. Obtenha um pouco de espaço entre você e os pensamentos que surgem e perceba que você está presente antes do pensamento, durante o pensamento, e após o pensamento, assim o pensamento não pode ser você. Na verdade, você não está totalmente presente, mesmo quando não há nenhum pensamento surgindo.

3. Iluminação significa que vou estar livre do ego.

O ego é necessário para a sobrevivência do organismo e é o que nos diz quando fugir do perigo ou se defender. No entanto, embora raramente nos encontremos em situações reais da vida ou morte, o ego encara nossos distúrbios psicológicos com esta mesma atitude de luta ou fuga. Se alguém, por exemplo, nos insulta ou nos dá uma fechada no tráfego, o ego entra em ação e se sente ameaçado.

A chave é saber que não somos o nosso ego. Ao observá-lo, uma vez que é acionado, podemos começar a obter algum espaço entre nós e ele. Quanto mais espaço, menos influencia ele tem sobre nós. Rapidamente, o ego começa a se sentir como uma criança mimada que está sempre se lamentando e reclamando porque ele quer o que quer, quando quer.

O mantra do ego é, "Eu, eu, eu!"

Ao invés de ficar com raiva dessa "criança", podemos começar a amá-lo e assegurar -se que ele está seguro. Por não tomar o nosso ego tão a sério, nós literalmente começamos a nos iluminar. Mais uma vez, não há necessidade de livrar-se do ego - ver claramente que ele não é você, é o suficiente.

4. Uma vez que já estou iluminado, minha vida estará livre de problemas.

Quando a pessoa está desperta, não são só coisas "positivas" que surgem no seu caminho. Na verdade, é você que para de rotular as coisas como positivo ou negativo, porque tudo é visto como a vida se desenrolando, exatamente como na verdade, ela se manifesta.

Você percebe que você não está no controle da vida, a vida simplesmente é, e você não está separado da vida. (Mesmo se você se sentir separado, você não está. Uma onda pode se sentir separada do oceano o tanto quanto ela quiser, mas isso não a torna assim.)

E dessa maneira você aprende a confiar na vida plena e completamente. Você aprende a "ir com o fluxo" e a aproveitar a viagem. A montanha-russa tem tanto altos e baixos. Você não pode ter uma montanha-russa apenas com altos.

Conforme você vai envelhecendo você percebe que a vida passa muito rápido e, por isso, o desejo de se lamentar e reclamar sobre cada pequena coisa de repente se torna um desperdício de energia, uma energia que aos poucos vai se reduzindo.

Lembre-se, todo mundo é um bom marinheiro quando o mar está calmo ... mas não é preciso fugir das tempestades. Podemos ver uma tempestade como um problema insuperável ou como um desafio para ir mais fundo e descobrir do que realmente somos feitos. Os navios não foram projetados para ficar no porto.

Independentemente do desfecho da situação, você vai aprender algo sobre si mesmo, que você ainda não sabia. E quando você desperta, você percebe que o que você realmente é, nunca será prejudicado.

Como o diz o Bhagavad Gita, a respeito de sua verdadeira natureza:

“Espadas não podem cortá-la, o fogo não a queima, a água não a molha, o vento jamais a resseca. Ela está além do poder de todas estas coisas”

5. Eu sei que quando eu estiver iluminado, vou estar em êxtase o tempo todo.

Enquanto a bem-aventurança ou a felicidade suprema é experiência maravilhosa, assim como todas as experiências, ela vai e vem. A idéia de que uma pessoa ilumindada está em êxtase o tempo todo, simplesmente não é verdade.

Estar desperto significa estar em comunhão total com o momento presente, não importa como ele se apresente.

Porque o ser iluminado não está vivendo no passado ou no futuro, ele aceita completamente todos os pensamentos, sentimentos, sensações ou emoções que surgem naquele instante. Assim, por exemplo, se ele vê um animal sendo abusado por um ser humano, ele pode. de fato, chorar ao ver um ato tão inconsciente. O que nós descobrimos, é que o que somos é o espaço onde qualquer experiência possa se manifestar.

Considerações Finais

É importante perceber que se você não conseguir localizar a Consciência, é porque você é a própria. Assim como um olho pode ver tudo, menos a si mesmo, a consciência pode estar consciente de tudo, menos dela mesma.

Quando você diz "essa" é a Consciência, surge a pergunta: o que está consciente disso?
Sente o dilema?

E assim, no Advaita Vedanta o termo sânscrito, "neti neti", que significa "não isto, não isto" é frequentemente utilizado como prática para encontrar o caminho de volta para casa.

Por exemplo, você poderia olhar para uma árvore e perguntar: "Eu sou a árvore ou o que está consciente disso?" Desde que você está consciente da árvore você sabe que você não pode ser a árvore. E você faz isso com todos os objetos que estão ao seu redor, incluindo o seu corpo.

No início, a mente vai tentar dizer: "Mas 'eu' estou consciente disso!"

Então, você tem que perguntar: "E o que está consciente do "eu" que afirma conhecer a árvore?" 

E a mente diz: "eu mesmo!" 

E você pergunta: "E o que está ciente deste "eu mesmo"? 

Se você continuar perguntando: "E o que está consciente disso?" para qualquer resposta que a mente traga, a mente acaba se aquietando, pois vê que não tem mais respostas. E assim, você acaba em silêncio.

A chave é: você realmente tem fazer este exercício, de modo que o entendimento deixe de ser intelectual para ser experiencial. Aprende-se não por acreditar no que alguém diz, mas confirmado por sua própria experiência direta.

E você deve continuar fazendo isso mais e mais até que se torne óbvio que tudo do que você está consciente, não pode ser você. E, de repente, pode clarear em você a idéia de que aquilo que você sempre procurou, é exatamente aquilo que procura ... e você repousa nisso/como naquilo.

(NT: Um dos maiores sábios da India, Ramana Maharshi, indica como a melhor prática espiritual para caminhar em direção à Iluminação, é perguntar-se incessantemente: "Quem sou eu?". Experimente fazer isso e perceba como imediatamente você se torna absolutamente consciente do seu corpo e de toda a realidade no momento presente, exatamente no Agora.)


Por favor, respeite todos os créditos ao compartilhar.
http://stelalecocq.blogspot.com/2014/03/5-mitos-sobre-se-tornar-iluminado.html
Fonte e Tradução: Mick Bernard


Extraído de: http://stelalecoqc.blogspot.com

Postagens mais visitadas deste blog

CÍRCULO DE LUZ E AMOR DE MARIA - MENSAGEM RECEBIDA AOS 07.03.2017 POR JANE RIBEIRO

DEZESSEIS SINAIS DE QUE VOCÊ É UM CURADOR

O Livro do Conhecimento: As Chaves de Enoch®