A ESPERANÇA DE PANDORA


A ESPERANÇA DE PANDORA
30 de Janeiro de 2014: Lua Nova em Aquário (21:40 GMT)
Sarah Varcas


Hoje a Lua Nova nos oferece criatividade de pensamento e a oportunidade de enxergarmos uma situação familiar através de uma nova perspectiva.

Se estivermos sentindo que uma área de nossa vida, ou a própria vida, está obsoleta e precisando de renovação, esta Lua nos oferece a possibilidade de um novo entendimento que pode ajudar-nos a atravessar os bloqueios e obstáculos criados pelo fato de insistirmos habitualmente no mesmo tipo de raciocínio que nos leva aos velhos caminhos de sempre.

Aqui temos a chance de pensar “fora da caixa”, ou simplesmente reconhecer que não havia nenhuma caixa para começarmos – nós é que a criamos para nos manter seguros – mas aquilo que no princípio era um refúgio acabou se transformando numa prisão de perspectivas rígidas e pontos de vista desgastados e ultrapassados.

E para continuarmos com o tema da caixa, esta Lua ocorre em conjunção com o asteroide Pandora.

Todos nós conhecemos sua caixa (bem, na verdade era uma jarra, mas a maioria a conhece como caixa, então vamos ficar com isto…). Ao abri-la, devido a uma curiosidade irresistível, Pandora deixou escapar os males do mundo que dela saltaram, mal lhe dando tempo de fechar a tampa e agarrar um dos seus conteúdos.

Este acabou se revelou como sendo Elpis, o espírito da esperança, finalmente libertado (segundo algumas versões do mito), para equilibrar as próprias coisas que criam a necessidade desse espírito. Curiosamente, o asteroide Elpis se encontra em frente a esta Lua Nova, enquanto Pandora se encontra ao lado dela. Então, o que isto tudo significa para nós?

Pandora não teve má intenção ao abrir a caixa. Foi a curiosidade que a levou a fazer isso. Já lhe tinham dito para não fazê-lo e isto a deixou mais intrigada ainda. Ela queria saber o que havia ali e acabou convencendo a si própria que aquele não era um aviso para ser levado a sério.

Todos nós fazemos isto. Nós nos persuadimos de certas coisas ou as negamos de acordo com nossos diversos desejos. Queremos estar seguros, então inventamos centenas de motivos para provar que aquilo que realmente desejamos fazer, mas que traz algum risco, é uma péssima ideia.

Ou queremos fazer uma enorme mudança e minimizamos seus riscos para justificar nossa decisão de fazê-la a qualquer custo. Não queremos que nossas crenças sejam desafiadas, então nos rodeamos de pessoas que compartilham nossa visão do mundo. Ou apreciamos os desafios e discussões e assim nos colocamos no meio daqueles que não a compartilham.

Às vezes, as decisões que tomamos abrem a Caixa de Pandora e mais tarde acabamos constatando o quanto fomos insensatos. Outras vezes, a caixa já havia sido aberta e nossa decisão é o elemento que finalmente liberta a esperança e permite que ela volte ao mundo mais uma vez.

As consequências pesadas das decisões que tomamos podem nos oprimir se assim permitirmos, pois toda ação, pensamento e palavra provocam um efeito. E se nos aprofundarmos demasiado em suas complexidades, nunca faremos nada, por medo de suas repercussões.

Mas, se nos lembrarmos de que a esperança vive onde os desafios vivem, podemos ultrapassar a noção preta e branca de certo e errado, em favor de um ponto de vista mais aceitável – que quando as coisas não saem do jeito que havíamos planejado, isto não é o fim do mundo, pois é então que a esperança aparece.

Muitos de nós tivemos a experiência de não conseguir o que queríamos e mais tarde perceber que as coisas começaram a fazer mais sentido desse modo. A vida tem seus próprios planos e se os nossos correm no sentido contrário aos dela, podem não ter sucesso.

Nesta Lua Nova, a esperança brilha intensamente, lembrando-nos que nem sempre sabemos o que é melhor, por mais que sintamos que estamos certos. E que a intrincada tapeçaria do plano da vida para nós geralmente só é plenamente apreciada depois que a vivenciamos e observamos suas diversas peças se encaixando em seus devidos lugares, no devido tempo.

Ao fazermos isto, a esperança pode manter vivos nossa fé e comprometimento. E isto revela exatamente o que a perspectiva desta Lua Nova nos traz: a promessa da possibilidade que não conseguimos reconhecer anteriormente; a dádiva do potencial que não havíamos identificado antes.

Há novas perspectivas a serem apreciadas agora e esta Lua nos lembra que, por mais que tenhamos nos afastado de onde gostaríamos de estar, a esperança se afastou junto conosco e pode ser acessada a qualquer momento para reestruturar nosso mundo e nos lembrar que a maioria das coisas raramente é exatamente o que parece…

Feliz Lua Nova a todos!

Sarah Varcas

Por favor, respeite todos os créditos
http://stelalecocq.blogspot.com/2014/01/a-esperanca-de-pandora.html
Tradução de Vera Corrêa veracorrea46@ig.com.br
http://astro-awakenings.co.uk/30th-january-2014-new-moon-in-aquarius-2140-gmt
© Sarah Varcas. Todos os direitos reservados. É dada permissão para compartilhar livremente este artigo em sua totalidade, desde que seja dado todo crédito ao autor. E que seja citado o site onde este texto é oferecido gratuitamente: www.astro-awakenings.co.uk.
Grata Vera!

Extraído de: http://stelalecoqc.blogspot.com

Postagens mais visitadas deste blog

CÍRCULO DE LUZ E AMOR DE MARIA - MENSAGEM RECEBIDA AOS 07.03.2017 POR JANE RIBEIRO

DEZESSEIS SINAIS DE QUE VOCÊ É UM CURADOR

O Livro do Conhecimento: As Chaves de Enoch®