KRYON - O TEMPO DA CRIAÇÃO


O TEMPO DA CRIAÇÃO
Uma mensagem de Kryon 
Canalizada por Lee Carroll
em 12 de agosto de 2012 no Cruzeiro Havaiano.



Para ajudar o leitor, esta mensagem foi re-canalizada [por Lee e Kryon] e complementada, para permitir um entendimento mais claro. Geralmente as canalizações ao vivo têm uma energia implícita que carrega um tipo de comunicação que o texto escrito não traz. Então aproveite esta mensagem melhorada, transmitida no Havaí.

Saudações, queridos
Eu Sou Kryon do Serviço Magnético. 

Não deveria haver nenhum motivo para que meu parceiro sentisse qualquer ansiedade numa canalização como esta. Nas centenas de vezes que ele se sentou numa poltrona e usou o portal através do qual seu Eu Superior penetra, chegou uma mensagem limpa e clara de um mensageiro que lhe é muito familiar. Entretanto, há uma ansiedade – sempre há, quando ele se encontra à sombra da montanha da Lemúria [Havaí]. Pois, embora esta seja uma energia que ele reconhece, ele não reconhece as coisas que estão ocultas dele, que estão no seu próprio Akasha.

Portanto, a energia do local onde vocês se encontram agora está pronta para as informações que desejo lhes trazer e que estão deixando meu parceiro nervoso, só porque ele está em casa e suas lembranças Akáshicas mais profundas estão aqui.

Para os ouvintes e leitores, diremos onde estamos sentados, para que possam entender. Antes de mais nada, estamos sobre a água. Mas, nesta situação em particular [o navio está atracado], não estamos nos movendo. As canalizações anteriores, a bordo destes barcos, foram mais fáceis para o meu parceiro porque ele e os outros estavam se movendo [o navio estava em curso].

Isto é, não havia absolutamente nenhum elemento de aterramento [estavam totalmente separados da terra]. Mas aqui e agora, embora vocês estejam flutuando e embora estejam ancorados, existe uma dicotomia – podemos dizer que estão aterrados, por estarem na presença “estática” [sem movimento] da Grade Cristalina. Esta é uma combinação que produz uma energia única, pois a água é refletiva e assim a energia é de fato semelhante.

Hoje é uma energia refletiva do passado, refletiva da história e refletiva de vocês e do papel que podem ter desempenhado neste lugar onde estão literalmente sentados “à sombra das montanhas da Lemúria”. Se eu pudesse levá-los para trás no tempo, não haveria nenhum porto aqui.

Como já mencionamos antes, os picos destas montanhas eram muito, muito mais altos do que são agora. Pois ocorreu uma anomalia geológica envolvendo o “ponto quente”(1) [atributo da cadeia de montanhas havaianas], que criou uma protuberância que empurrou as montanhas para cima – não totalmente para fora da água, mas o suficiente para que os picos que hoje vocês chamam de Ilhas Havaianas estivessem sempre cobertos de neve e gelo.

(1) NT: Pontos quentes (do inglês hotspot) são locais da superfície terrestre onde existe uma anomalia térmica (o ponto quente ou hotspot), aparentemente associada a fenômenos de convecção térmica que traz magma mais quente das zonas profundas para as proximidades da superfície, que se traduzem na superfície terrestre pela existência de continuado vulcanismo, ou seja, chaminés pequenas de vulcões muitas vezes deixando um rastro que assinala o movimento da placa tectônica sobre a zona de ascensão do magma. Fonte: (http://www.babylon.com/dictionary/)

Até geleiras se formaram aqui na Lemúria (de até 30.000 pés de altura) e era nos picos dessas montanhas que o trabalho considerado sagrado era feito. Hoje se tem uma sensação totalmente diferente na região tropical que vocês agora vivenciam. Mas naquela época remota, aqui era FRIO!(2)

(2) Lee Carroll: Há credibilidade para a possibilidade do “ponto quente” da cadeia de montanhas havaianas ter sido enormemente levantado de uma só vez. Pois recentemente foi descoberto que outro “ponto quente” chamado Yellowstone, no continente dos Estados Unidos, também possui uma “protuberância” na sua história geológica. Ele aumentou a altura das montanhas o suficiente para se formarem geleiras. A montanha elevada do Havaí é a história da Lemúria que vem sendo contada por Kryon há mais de 15 anos, e só recentemente estamos vendo alguma precedência geológica que essa suposta “protuberância” também poderia ter acontecido no Havaí.

Então agora meu parceiro recebe informações a respeito de si mesmo, que ele não conhece. Talvez seja por isso que ele está apreensivo. Ele não gosta do frio até hoje. Por centenas de encarnações, literalmente, ele selecionou as áreas da sua vida que nunca mais o colocariam numa situação onde ele tivesse que vivenciar invernos gelados.

Ele conhece as encarnações que lhe foram mostradas por leitores de vida passada – onde ele esteve e o que ele fez – e até mesmo a sua próxima encarnação – para onde ele irá! Nenhuma delas tem invernos gelados devido ao que aconteceu aqui [na Lemúria].

Meu parceiro – este que está sentado na poltrona, o Ser Humano que é o lemuriano para o qual vocês estão olhando – era um mensageiro. O trabalho do mensageiro na Lemúria era subir e descer correndo estas montanhas, das áreas que não eram tão frias para as áreas lá no alto, que precisavam de comunicação, pois não havia nenhum outro meio eficiente para isso.

Então, ele estava constantemente com frio. Existem lugares desta ilha que ele não visitou hoje por essa mesma razão. Esses locais lhe trazem muitas lembranças de desconforto, que ele carrega no seu Akasha da época em que era lemuriano até hoje. Então agora vocês sabem por que ele é um “homem de clima quente”.

OS TEMPOS DA LEMÚRIA

Esta energia em mudança está agora pronta para revelar muitas coisas sobre a Terra, sobre a Lemúria e sobre como as coisas aconteceram aqui. Cada ano que passa parece clarear a comunicação com a Grade Cristalina, permitindo que lhes seja transmitido algo mais sucinto, de modo que tenham um entendimento melhor do plano que teve lugar neste planeta e quando isso aconteceu.

Este plano sagrado esteve em vigor em outras áreas durante muito tempo. É um plano galáctico, que se graduou para uma energia que inclui vocês. Assim, começou uma coisa neste lugar que era diferente de qualquer outro lugar do planeta. Este plano sagrado foi trazido para a Terra e implementado imediatamente. E abrangia todo o planeta.

Mas foi aqui que ele foi isolado e amadureceu em tal velocidade que criou uma civilização que não poderia ocorrer em qualquer outro lugar. Estava confinada nesta montanha, e os Seres Humanos não podiam sair daqui. Então, literalmente centenas de anos se passaram até que esta montanha em particular fosse empurrada para fora da água e a civilização vivesse sobre ela, o que realmente ajudou a criar o que chamaremos de sementes de almas da Caverna da Criação.

Existem muitos lemurianos despertando neste planeta como almas velhas, que tiveram uma encarnação nesta montanha. E os que estão sentados hoje nestas poltronas estão entre esses. Vocês [os do grupo em frente a Lee] sentirão isto em algum nível; vocês sentem isto. Existem algumas coisas que estão ocultas no esquema deste planeta, incluindo a própria consciência de Gaia, que tem a ver com vocês.

Acabei de mostrar ao meu parceiro o que nós vamos fazer e agora ele está mais ansioso ainda. Porque quando entramos na história, datas e conceitos que ele não viu antes, ele fica nervoso. Ele quer ser correto, preciso e fiel à informação que lhe é transmitida.

Então eu lhe digo: “Mantenha-se claro, simplesmente. As palavras sairão perfeitamente. Elas sairão de forma lógica, pois esta foi a promessa que lhe fiz e sempre cumpri – que a síntese de um ser-energia multidimensional chamado Kryon se fundiria numa confluência de pensamento e energia que criaria uma conversa tridimensional estruturada. Este é o seu dom – a tradução precisa e aterrada do Espírito.”

A LINHA DE TEMPO

Desejo mais uma vez lhes falar sobre a cronologia da semeadura deste planeta e homenagear seus pais espirituais, aqueles que vocês chamariam de pleiadianos. Isso foi confuso no passado, por isto não só lhes dou o cronograma que os ajudará a decifrar o quebra-cabeça de canalizações anteriores, mas também lhes darei um fato do qual nunca falamos antes, que começa a explicar algo no planeta – uma pergunta que nunca foi feita. Esta é uma das minhas especialidades, trazer coisas que ninguém nunca questiona, devido aos conceitos tridimensionais sobre “o jeito que as coisas são”.

Recentemente dissemos que o momento em que o planeta Terra foi semeado com iluminação ocorreu há aproximadamente 200.000 anos. Mas, poucos anos atrás, também lhes dissemos que a Lemúria só tinha 50.000 anos e que as sementes dela estavam aqui no Havaí.

Também lhes demos informações sobre o que aconteceu há 100.000 (na verdade, mais próximo de 90.000 anos atrás). Estas coisas podem parecer contraditórias entre si, se pensarem que as descrições são do mesmo atributo… mas não são. Então vamos começar devagar.

A pergunta que nunca foi feita é esta: “Por que existe apenas uma espécie de Ser Humano no planeta, quando existem centenas de tipos de outros mamíferos? O que mudou na evolução dos Seres Humanos que provocou isto?”

O ENVOLVIMENTO PLEIADIANO

Há cerca de 200.000 anos, quando os pleiadianos vieram à Terra pela primeira vez, a humanidade era um grupo, uma variedade, como todos os outros seres em evolução no planeta. O mamífero chamado Ser Humano tinha muitas variedades de formas. Como acontece com outros mamíferos hoje em dia, a variedade garantia a sobrevivência. Houve até 26 tipos de Humanos, mas acabaram se reduzindo a 17 espécies antes de os pleiadianos chegarem aqui (através dos processos evolutivos normais).

Este era o quebra-cabeça para os pleiadianos, pois, na semeadura do planeta, naqueles tempos remotos, o DNA teve que mudar para possibilitar o complemento espiritual, o DNA pleiadiano. A Humanidade precisava ter uma só espécie de Ser Humano, o tipo que vocês têm hoje, mas também precisava ter o “DNA do cosmos”. Esse tipo de Humano não tem variedade como outros mamíferos da Terra, como vocês já devem ter notado… ou não. Ele é do jeito que vocês são hoje.

Então, de um modo evolutivo, vocês são únicos, diferentes de tudo o que veem ao seu redor. Este processo criou um Ser Humano de 23 cromossomos, enquanto todos à sua volta tinham os 24 dos mamíferos convencionais. Portanto, a fusão das porções do DNA humano para criar os 23 foi o elemento dos pleiadianos que entraram e lhes deram o DNA deles. Neste processo, muitas coisas aconteceram simultaneamente.

Quando um agricultor olha para o seu campo e decide cultivar milho, ele o analisa de modo diferente daqueles que virão a comer o milho. Pois o consumidor do milho perguntaria: “Quando é que o milho existe para consumo?” E lhe seria dito, “Ele existe quando o caule está alto e ele é colhido, cozido e servido à mesa.” Esta seria a história do milho para o consumidor.

Ela começa com a colheita do milho maduro. Mas o agricultor olha para ele de modo diferente. Ele olha para a terra bruta que precisa ser arada e fertilizada, e talvez revirada várias vezes com outras colheitas, para admitir o nitrogênio no solo até que o esterco esteja pronto. Talvez ele o plante e então pegue as sementes, quando elas surgirem, e espalhe-as pela terra novamente; vocês conhecem a história. Então, o agricultor teria uma ideia totalmente diferente da história do milho.

Quer dizer que vocês têm pelo menos duas perguntas e cenários, não é? Quando foi que o milho começou? O consumidor lhes dará uma resposta e o agricultor outra. Então, qual é qual? Depende de quem está perguntando – o consumidor do milho ou o cultivador do milho.

Agora, existe uma terceira pergunta: O que dizer do idealizador (criador) do milho? Quem fez o milho? Quando? Ofereço-lhes isto como um exemplo do motivo das datas serem diferentes. E vou lhes dar todas elas. Depois vou lhes dizer o que aconteceu. Vou ser sucinto e não vou prolongar o assunto.

O PRIMEIRO OLHAR

Há cerca de 200.000 anos foi quando isso realmente começou. O conceito da “semeadura divina” do planeta Terra aconteceu nesse ponto, e os campos começaram metaforicamente a ser arados. Aqui existe uma questão que vamos chamar de “o modo que as espécies funcionam em Gaia”. Isto é algo que aconteceu simultaneamente com a criação da grade de Gaia.

Pois agora lhes damos uma coisa que ninguém nunca pensou.

Quando falamos de grades do planeta, vocês supõem que elas sempre existiram. Como o planeta é velho, vocês podem dizer, “Bem, as grades sempre estiveram aqui.” Mas estou aqui para lhes dizer que apenas uma sempre esteve aqui, e esta é a grade magnética. Mas ela era espiritualmente vazia, isto é, ela só tinha o que era criado a partir do movimento do núcleo da Terra.

Hoje, quando falamos das grades do planeta, nossa conversa envolve a consciência da humanidade, que está impregnada na grade magnética. Também lhes falamos sobre a Grade Cristalina e sobre a Grade da consciência de Gaia. Tanto uma quanto a outra reagem à compaixão Humana.

Agora, eis aqui o enigma: se não se tem a consciência Humana divina, então como ficam as grades? Elas existem sem o Ser Humano? A resposta é que elas precisam ser criadas simultaneamente com a semeadura do DNA divino.

Então o que os pleiadianos fizeram não foi só começar a mudança das sementes da humanidade para o DNA divino, mas eles também criaram as grades conscientes de Gaia. Eles precisaram fazer isso, pois as grades conscientes de Gaia são uma confluência das decisões da humanidade levadas para a energia de Gaia.

A consciência da qual estamos falando é o Ser Humano espiritualmente sancionado, que existe com uma peça de Deus no seu interior e com DNA que tem 23 cromossomos em vez dos 24 comuns, que todos os outros possuem através da evolução biológica.

Vamos recapitular e falar isto de novo de modo mais simples, meu parceiro [advertência para Lee falar claramente].

A tríade de grades deste planeta, das quais falamos várias e várias vezes, são as grades de consciência de Gaia, e foram criadas ao mesmo tempo que a semeadura da humanidade com o DNA pleiadiano. Em todos os ensinamentos que lhes temos transmitido, especialmente sobre a Grade Cristalina, temos dito que essas grades vêm reagindo à consciência e compaixão Humanas. Portanto, a própria essência da energia atual de Gaia também está relacionada com a criação da humanidade.

Estes são os atributos do trabalho dos pleiadianos de 200.000 anos atrás, e ele foi realizado quanticamente de modos dos quais vocês não têm nenhuma consciência neste momento. Pois estas coisas estão além da sua capacidade de entender agora, por estarem ainda numa dimensionalidade de um dígito apenas. Mas o resultado naquele tempo foi uma “Gaia consciente”.

Então podemos dizer que a própria Gaia foi realmente criada quanticamente a partir da energia das Sete Irmãs, exatamente como vocês.

A Gaia que existia antes desse tempo ainda era Gaia, mas não como é agora. Era uma Gaia que estava criando a terra neste planeta e a energia da vida biológica da Terra. Era a mãe de toda a vida no planeta, mas não a Gaia que reagiu à consciência Humana. Esta é bem diferente. Então Gaia se expandiu enormemente quando os pleiadianos vieram para cá, e isto foi proposital.

Levou 110.000 anos para isto se assentar e para a terra estar pronta para mais de 16 espécies de Seres Humanos desaparecerem, de modo que sobrasse apenas uma. A partir do momento em que isto ocorreu, há aproximadamente 90.000 anos, é que podemos começar a avaliar quem eram os Humanos e quem eles se tornaram.

OS OUTROS

E o que aconteceu com todos os outros tipos de Humanos e como eles desapareceram?

Vou lhes falar sobre um atributo que existe ainda hoje. Isto é difícil para o meu parceiro, pois ele ainda não o ouviu antes. Esta informação não foi trazida deste modo antes. Vá devagar, meu parceiro.

As várias espécies neste planeta vêm e vão conforme são necessárias pela energia que elas criam. Então, uma das tarefas de Gaia é criar e eliminar espécies. Quando não são mais necessárias para o propósito do desenvolvimento de Gaia, elas param de existir e desaparecem. Se vida nova é necessária, se novos conceitos de vida são necessários, Gaia coopera e eles então são criados.

A real criação de espécies é algo que os ambientalistas ainda não enxergaram claramente, isto é, o mecanismo do seu funcionamento não é totalmente reconhecido como algo intensamente coordenado com o seu clima. Mas vocês já viram um pouco desse mecanismo em seus estudos a longo prazo, pois já observaram o aparecimento e desaparecimento de muitas espécies através das era. Isto é contínuo.

A CONVENIÊNCIA DA EXTINÇÃO DE ESPÉCIES

Então surge o Homem, vê todo esse aparecimento e desaparecimento de coisas vivas, e quer salvar todas elas – todas as espécies que existem. Pois, na sua mente linear, todas as espécies deveriam permanecer e existir, já que estão aqui. Entretanto, é um atributo de Gaia eliminá-las, se desfazer delas, para trazer coisas novas. Acabei de lhes falar sobre os mecanismos do motivo das vindas e idas das espécies. Isto é apropriado e é um processo de construção natural de novas espécies.

Quando os pleiadianos começaram a criar as grades do planeta, Gaia colaborou no que estava por vir, pois conhecia o propósito e o que era necessário para a sobrevivência desse novo Humano espiritual. Gaia sabia disso, pois sua energia o tinha visto antes [pelo motivo dado mais abaixo].

Então, o antigo atributo, que precisava de muitos tipos de Seres Humanos, lentamente desapareceu. Isso aconteceu naturalmente. Não houve nenhuma guerra; não houve pragas terríveis; não houve nenhum vulcão nem tsunami que os consumiu. Em 110.000 anos, eles foram diminuindo em número e, convenientemente, desapareceram.

Então, cerca de 110.000 anos atrás, restava apenas um tipo. E isto é ciência, pois tudo o que vocês estudam confirma isto, e os antropólogos já o observaram e perguntaram, “O que aconteceu naquele tempo remoto, que eliminou as outras variedades de tipos de Humanos?”

Este é um enigma para a ciência, que eu acabo de responder, porque a ciência só procura eventos físicos como elementos desencadeadores. Mas, na verdade, é o casamento da consciência de Gaia, que vocês chamam de “Mãe Natureza”, que facilita isto.

O mesmo acontece hoje quando vocês veem várias espécies diminuírem, à medida que o Ser Humano assume uma porção maior da Terra. Chamarei isto de “a extinção apropriada de formas únicas de vida, que possibilita o crescimento da consciência global e evolução quântica”.

Algumas espécies existem apenas para permitir que outros subam a escada da natureza; e depois desaparecem. Gaia sabe como é essa escada. Vocês não.

A LIGAÇÃO ESPIRITUAL

Assim, historicamente, esta “criação de um tipo de Humano” também deu início ao mecanismo esotérico do padrão de vida espiritual no planeta, onde se tornou possível medir a energia da alma, uma energia quântica de espiritualidade que é ligada a Gaia. É o mesmo trabalho que vocês estão tentando fazer hoje, pesquisando a história da espiritualidade e se perguntando qual teria sido a intuição do criador desse sistema. A consciência Humana é uma energia quântica e é a soma de todas as almas.

Agora estamos a 90.000 anos atrás. Estamos olhando para o Ser Humano que tem 23 cromossomos… aqueles das Sete Irmãs. Depois disso, levou mais 50.000 anos para esse Humano se desenvolver em um Ser Humano senciente, quântico, que podia formar uma civilização sem nenhum modelo anterior de organização.

É preciso muitas gerações de tentativa e erro para se chegar a isto, embora pareça normal para vocês hoje. Todos os cozinheiros sabem que demora bastante tempo para se cozinhar uma refeição de qualidade. Sem uma receita e nenhum treinamento, quanto tempo seria necessário para que um Humano, que nunca tivesse visto uma cozinha nem ingredientes alimentares, criasse uma refeição digna de um gourmet, apenas através de tentativa e erro?

Isto é semelhante à formação das primeiras civilizações… e as coisas não andavam tão depressa quanto hoje. Esse era o começo da humanidade tentando descobrir como fazer as coisas funcionarem para grupos de Humanos juntos.

A sabedoria é aprendida deste modo, e o tempo é o fogão da refeição da sabedoria.

Os atributos da consciência que os pleiadianos estabeleceram através do Ser Humano de 23 cromossomos, criaram crescimento, e cada geração tornou-se mais sábia com o tempo.

Finalmente, muito depois da Lemúria, o DNA desenvolveria uma eficiência que possibilitaria o que vocês vêm hoje – a divindade no interior do Ser Humano que é reconhecida e percebida quase ao nascimento, e uma população de quase 7 bilhões de pessoas, onde mais de 80% acreditam no mesmo Deus e até na vida após a morte [na civilização atual].

A HISTÓRIA DA LEMÚRIA

Agora estamos a 50.000 anos atrás. Foram necessários outros 20.000 anos para se construírem os Templos de Rejuvenescimento e as almas velhas começarem a aparecer… o tipo do qual vocês fazem parte.

Agora estamos a 30.000 anos atrás. Esta é verdadeiramente a linha de tempo da Lemúria da qual falamos hoje, quando dizemos “A civilização da Lemúria”, pois essa é a Lemúria madura, aquela que desenvolveu a espiritualidade muito mais do que qualquer outra civilização do planeta naquele tempo.

A ilha criou um grupo puro de Humanos espiritualmente semeados. Nós já lhes contamos o resto da história. Quando a bolha da crosta terrestre (que havia levantado a terra) começou a abaixar, a montanha da Lemúria começou lentamente a afundar. Os lemurianos se dispersaram e tomaram os barcos, sem saber se sobraria alguma terra.

Enquanto a Lemúria estava no seu auge, passaram-se milhares de anos em que esta montanha abrigou uma Lemúria imutável, e foi como uma panela de pressão de informações, linhagem, treinamento e experiência. Ela nunca mudava, e o que foi aprendido aqui era diferente de outros lugares do planeta.

Em outras regiões, os Humanos podiam ir em frente e fazer o que bem entendessem. Tudo o que precisavam fazer era pegar suas coisas e ir embora! Mas aqui (Lemúria) não. Portanto, aqui eles eram forçados a encontrar formas de lidar com os problemas comuns da vida em comunidade.

Então este se transformou no lugar que o Akasha da humanidade escolheu para treinar almas velhas.

Um Humano viria aqui apenas uma vez e então voltaria a encarnar em outro lugar do planeta. Assim, houve muitas almas que passaram pela Lemúria nos últimos 20.000 anos, que viveram na base destas mesmas montanhas onde vocês estão flutuando hoje. Isto também explica por que existem tantos lemurianos no planeta agora – pensem nele como uma Escola Pleiadiana.

O DESPERTAR LEMURIANO

Um despertar está em curso, queridos, e este despertar, neste planeta, neste momento, envolve seus irmãos e irmãs que passaram tempos subindo e descendo estas montanhas. Muitas das velhas almas passaram um tempo aqui, e hoje estão por todo o planeta.

Havia um grupo especial de lemurianos que era capaz de usar o Templo de Rejuvenescimento (no topo da montanha) com regularidade. Isto estendeu bastante o tempo de suas vidas. Falei sobre isso durante anos. Eles eram a realeza e os “guardiões dos segredos”. Eles viveram até três vezes mais que a maioria dos outros lemurianos. Mas era preciso que assim fosse, pois eles é que mantinham o conhecimento original. Esta era uma forma de preservar os costumes antigos da Lemúria e manter a informação pura.

Como lhes disse, meu parceiro fica com frio com muita facilidade. Ele esteve no Templo do Rejuvenescimento várias vezes, e daí vem sua associação com Yawee (Dr. Todd Ovokaitys), que alguns de vocês já sabem quem é.

Como mensageiro, meu parceiro era quem levava informações sagradas – os segredos – para fora e para dentro dos Templos. Os lemurianos daquele tempo não queriam compartilhar esses segredos com muitos. Assim, meu parceiro teve uma vida muito, muito longa. Ele continuou sendo rejuvenescido nos templos tantas vezes quanto os da realeza.

Este mensageiro viveu durante muito tempo e passou vidas como uma alma aqui, e durante todo o tempo que esteve aqui, ele sentiu frio. Agora, pela primeira vez, estou dando ao meu parceiro o motivo de ele vir aqui e se sentir tão conectado com esta terra… e por que ele não gosta de ficar com frio!

GAIA FAZ PARTE DE VOCÊS

Gaia e as grades de consciência do planeta foram todas criadas ao mesmo tempo que vocês foram, através das mesmas energias que vocês foram, pela mesma fonte que criou vocês. Hoje, se pudessem ir a um planeta especial que existe na constelação que vocês chamam “das Sete Irmãs”, a constelação que até hoje é celebrada nesta ilha [Havaí], e conversar com eles, veriam algo que reconheceriam.

Eles têm um nome para a energia do planeta deles. Não é “Gaia”, mas é próximo. Eles também têm uma Grade Cristalina e, naturalmente, uma grade magnética. Eles têm uma grade semelhante a Gaia. Eles precisavam ter, porque tudo isso foi transportado quanticamente para cá!

As próprias grades deste planeta, aquelas que estamos chamando de grades de consciência, também são pleiadianas! Agora vocês sabem, e talvez isto seja uma notícia que não esperavam, oferecida a vocês numa energia que só pode ser oferecida quando nos sentamos aqui, à sombra da montanha que costumava ser gelada.

Isto é o suficiente por hoje.
É a sua história, Lemuriano.

Então aqui fica o convite para cada um daqueles que estão sentados à minha frente: quero desafiá-lo neste momento a sentir o que está aqui. Isto, por uma única razão – para que possa ser espiritualmente rejuvenescido e assim seu Akasha possa ser ativado enquanto se lembra.

Deixe que seu corpo valide espiritualmente o que você já suspeita: que você é uma alma velha e existe uma razão para estar despertando agora e para estar nesta viagem em particular [o cruzeiro].

Ah, tem mais, mas isto é o suficiente por agora, isto é suficiente por agora.

E assim é

KRYON

Esta informação é gratuita e está disponível para que a imprima, copie ou distribua como desejar. No entanto seus Direitos Autorais proíbem sua venda de qualquer forma, exceto pelo editor.
Lee Carroll
Tradução de Vera Corrêa veracorrea46@ig.com.br

Extraído de: http://stelalelcoqc.blogspot.com

Postagens mais visitadas deste blog

CÍRCULO DE LUZ E AMOR DE MARIA - MENSAGEM RECEBIDA AOS 07.03.2017 POR JANE RIBEIRO

DEZESSEIS SINAIS DE QUE VOCÊ É UM CURADOR

O Livro do Conhecimento: As Chaves de Enoch®