sábado, 10 de setembro de 2011

CRISTAIS DE QUARTZO - PARTE 3

Como escolher sua pedra pessoal, cuidados e manutenção
William LePar e O Conselho
19 de agosto de 2011

O Conselho nos diz como selecionar o nosso próprio cristal de quartzo pessoal.

Ele também nos fala sobre os campos de energia da pedra e da diferença entre pedras puras e aquelas com imperfeições.

Por último, ele fala sobre cristais de quartzo de acabamento duplo.

Interlocutor: Existe uma maneira específica de escolher um cristal que vai trabalhar para você?

O Conselho: Sim. Basta tocá-lo e ver quais são seus sentimentos. Esse é o melhor caminho.

Se você sente, ao tocar em uma pedra, que ela tem algo a lhe oferecer, e afirma isso, então isso faz com que seja assim.

Isso responde a pergunta?

Interlocutor: Sim, obrigado.

O Conselho: Pode ser ou é possível, digamos, que você fosse adquirir uma dúzia de diferentes cristais de quartzo.

Você pode tocar todos os doze e não sentir nada, mas todos eles emanam um campo de energia, e só porque você não pode senti-lo não significa que não exista.

O tamanho é provavelmente o maior fator.

É apenas lógico que quanto maior e mais pura a pedra, mais potente ela será.

Agora, quando se trata de pedras menores, não se preocupe com a pureza da pedra, mas preocupe-se mais com o que sente a partir delas.

A pureza é influente apenas na medida em que concentrará sua energia em uma faixa mais estreita ou em uma linha mais direta.

Os cristais que são turvos ou com plumas neles, ou o que alguns chamam de impurezas, terão a mesma influência que uma pedra pura de igual peso ou tamanho.

A diferença é que naqueles com as impurezas, ou falhas, ou plumas, o campo de energia não é dirigido. Eles emanam em um padrão mais geral.

Para os objetivos de uso geral de um indivíduo, não faz diferença.

Se você está querendo usar um cristal de quartzo para uma finalidade específica, seja ela qual for, pode ser mais aconselhável, então, obter aquele que é puro.

Isso responde a pergunta?

Interlocutor: Sim, responde essa e faz surgir outra.

O Conselho: Muito bem.

Interlocutor: É mais importante ter um cristal de acabamento duplo para que a energia flua dentro e fora?

O Conselho: Não, não. A energia está lá e ponto final.

Pela própria natureza do cristal, ela está lá.

A energia que é aumentada... como podemos colocá-lo de modo que seria compreensível? A energia flui para dentro e através do cristal.

Ela não tem um ponto de entrada e um ponto de saída, embora, como dissemos, um cristal puro terá um campo mais estreito de energia.

Pode-se encarar isso dessa maneira, um cristal puro terá um campo oval, e aquele que não é tão puro terá um campo circular de energia.

Você vê a diferença?

Interlocutor: Sim.

O Conselho: Mas não há entrada ou saída de qualquer energia. Ela flui através de todo o cristal.

Esse conceito não está de acordo com o que algumas pessoas sentem, mas isso é problema delas.

Na próxima postagem, na parte quatro, o Conselho nos fala sobre a limpeza de um cristal de quartzo.

Um cristal para todos os fins? Ele faz uma declaração sobre isso também.

Para saber mais sobre William LePar e O Conselho visite http://www.williamlepar.com/
Fonte: http://www.williamlepar.blogspot.com/
Tradução: SINTESE (Grão 5)
http://blogsintese.blogspot.com/
Respeite os créditos

Nenhum comentário:

Postar um comentário