Perguntaram-me o que eu faria se o mundo fosse acabar


Perguntaram- me, o que eu faria se o mundo fosse acabar?

A resposta é bem simples:

Continuaria a viver, como sempre, apenas fora do corpo, em outras dimensões.

A Atlântida e a Lemúria afundaram, mas ninguém morreu lá.

O pessoal apenas saiu de seus corpos e continuaram vivos.

Inclusive, muitos estão reencarnados no momento atual da Terra.

Todos nós já vivemos muitas vidas e muitas mortes, apenas físicas.

Somos craques em morrer.

É provável que na hora da morte alguém até ache meio familiar o processo, e diga:

- Pô, desencarnar é simples!

O que nós não somos craques é em viver.

É por isso que nós retornamos ao palco da vida física novamente.

Nossas mortes em vidas anteriores foram só físicas, infelizmente.

Se tivesse morrido nosso ego também, talvez hoje nós fôssemos bem diferentes.

- Apocalípse do nosso ego? YES!

- Medo de morrer? NO!

- Fim de ciclo? YES!

- Fim do mundo? NO!

Perguntei ao meu coração, o que ele faria se o mundo fosse acabar...

Ele respondeu-me:

- Tô tão cheio de vida, cara. Por que você me pergunta isso? Você sabe que somos imortais. Então, parece-me estranha sua pergunta. Que tal perguntar-me como amar? Ou, como fazer para não entrar na onda dos que só vêem negatividades no mundo?

Perguntei ao meu ego:

- E aí, "egorgulho", o que você acha disso tudo?

Ele olhou-me com uma expressão ameaçadora e disse-me:

- Cara, acho que você tá com algum problema. Muita gente no mundo inteiro está falando de fim dos tempos e separação do joio do trigo. Por que você fica falando de espiritualidade, alegria, amor, imortalidade, luz e piadas? Não se manca não? Você está nadando contra a corrente e acabará naufragando. É melhor parar com esse papo todo e descolar uma nave de resgate para nós. O mundo que se dane! O importante é ser um escolhido new age. E vê se para de rir, porque eu não gosto!

Engraçado! Parece que tem uma nave aqui em cima do meu prédio. E parece que uma voz telepática extraterrestre está me dizendo: "FIN.... FAN... FUN..." (ou seria "Plim... Plam... Plum...") ou até mesmo "Plunct... Plact... Zum... você não vai a lugar nenhum..."

Pois é, no fim (ops!) das contas, as pessoas estão falando mais de apocalipse e catástrofes do que em fazer algo de bom na existência. Parece que o amor foi embora de seus corações e só ficou o medo das profecias.

Ainda prefiro ficar com os ensinamentos:

- de Jesus: "Orai e vigiai!",

- de Krishna "Arjuna, a alma não nasce e nem morre, apenas entra e sai dos corpos perecíveis!") ,

- de Buda "Abaixo da iluminação, tudo é dor!",

- de Osho "Piadas são mais importantes do que os livros sagrados e seus profetas!"

- e de Lao-Tzé "O Tao é o Tao, e tem seus próprios desígnios insondáveis!" ..

É que estudando seus ensinamentos livremente, sinto uma imensa esperança permeando meu coração e uma imensa alegria despontando em todo meu ser.

Daí, falar de fim de mundo fica sem sentido para quem tem certeza da própria imortalidade e sente o Divino como parte de si mesmo.

No placar do meu coração está marcando:

Piada 6 x 0 Fim do mundo

Sorriso 5 x 0 Apocalipse

Amor 9 x 0 Ego

Discernimento 8 x 0 Medo

Alegria 50 x 0 Naves de resgate

Imortalidade 4 x 0 Falta de maturidade

FIN... FAN... FUN... 1000 x 0 Falta de sorriso...

He he he he he...

Um abraço a todos! Paz e Luz!

Texto de Wagner Borges
Fonte: Jornal O Legado - janeiro de 2010

Comentários